Eshmir — Fórum RPG
Chatbox

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Cidade de Hyacinth

Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 5]

1 Cidade de Hyacinth em Qui Ago 21, 2014 6:59 pm

Alterax

avatar
Admin
Três altas muralhas de pedra cinzenta com torres de vigia cercam esta cidade. Os humanos a desenharam de maneira extremamente defensiva, com construções altas de rochas que seguem pelas montanhas. Suas ruas de paralelepípedos e solo batido são ramificadas em vários becos e todas são guardadas por soldados fieis a Hyacinth. Os telhados são feitos de telhas de argila vermelha altamente resistente, que protegem os habitantes de granizo, tempestades e outras ameaças. Ao norte, á uma fortaleza com alta capacidade bélica, além de ser rodeada por duas muralhas grossas e resistentes, onde existem vias internas com armamento pesado e torres de observação, assegurando defesa total para a cidade. Sua única entrada é bem guardada pela milícia local, deixando entrar apenas aqueles que forem autorizados. Em cada torreão estão presentes quatro balistas, que apontam de maneira precisa para os pontos cardeais, garantindo a melhor segurança que o exército da época pode oferecer.

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

2 Re: Cidade de Hyacinth em Dom Set 07, 2014 12:28 am

Heinz caminhava lentamente pelas ruelas da cidade de Hyacinth. Olhava em volta com um ligeiro sorriso no rosto, enquanto murmurava algo para si mesmo. Os moradores vivendo pacificamente o alegravam, entretanto ele não se afastava de seu objetivo principal naquele dia.
Finalmente avistou a entrada da cidade, guardada pela milícia. Ao estar finalmente próximo aos guardas, ajoelhou-se e abaixou sua cabeça
-Saúdo-vos, heróis do cotidiano. Meu nome é Heinz Von'Hoeven, apenas um viajante. Ficaria extremamente grato se pudessem me dizer como posso ter a honra de fazer parte da milícia de Hyacith. - Sua feição era séria, porém sua voz saía num tom empolgado, que Heinz tentava mascarar.

Ver perfil do usuário

3 Re: Cidade de Hyacinth em Dom Set 07, 2014 12:47 am

Os guardas olharam para o homem agachado em sua frente, depois entre si, e novamente para o rapaz. A reação foi completamente inesperada da parte de Heinz.
- HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! - Os militares gargalharam extremamente alto, tanto que os cidadãos próximos pararam para observar. - VOCÊ, com essa arminha oriental, pretende entrar na milícia de Hyacinth? HAHAHA! - Gozaram aos risos mais uma vez, até finalmente perderem o fôlego e recobrarem a postura. - Mas, se realmente te interessa, franguinho, Breonne está recrutando. De lá, você pode ser encaminhado a todas as cidades do reino...
O guarda de maior estatura se aproximou de Heinz, apoiando suas mãos nos ombros do rapaz, sussurrando em um tom debochado em sua orelha: - Claro, se você sobreviver.

Ver perfil do usuário

4 Re: Cidade de Hyacinth em Dom Set 07, 2014 12:54 am

Heinz não se sentiu humilhado ou desprezado, e sim grato pela ajuda do guarda.
-Agradeço pela ajuda, senhor. Procurarei mais ajuda em Breonne, e assim que pronto retornarei a Hyacinth. Tenha um bom dia. - Levantou-se então e curvou seu corpo, em sinal de respeito ao miliciano. Em seguida, partiu, deixando a cidade. Sabia basicamente a direção a se tomar para chegar até lá, e foi por onde seguiu, com a mesma empolgação que partira de Durenor dias atrás.

Ver perfil do usuário

5 Re: Cidade de Hyacinth em Dom Set 07, 2014 1:13 am

- Divirta-se apanhando, garoto. - Disse o mesmo que lhe havia sussurrado no ouvido.
Os guardas ainda zombavam um pouco do rapaz, acompanhando sua saída da cidade com os olhares.

Ver perfil do usuário

6 Re: Cidade de Hyacinth em Ter Set 09, 2014 9:30 pm

O rapaz passeia cantarolando algo suavemente. Parece atento aos detalhes do local.

Esse aqui eu não tinha visitado ainda...

Ver perfil do usuário

7 Re: Cidade de Hyacinth em Ter Set 09, 2014 11:33 pm

O jovem de cabelos roxos estava distraído, olhado a cidade, quando uma garota aparentando seis anos lhe para e pergunta:
- Moço, poderia comprar uma flor? - Ela sorri gentilmente, mostrando as rosas vermelhas que estava a vender para o rapaz. - Me ajudaria muito e faria do seu dia melhor!

Ver perfil do usuário

8 Re: Cidade de Hyacinth em Qua Set 10, 2014 10:25 am

Chego a cidade distraída. Após ter andando por tanto tempo sem rumo certo não reconheço o lugar que me encontro. Caminho pelo chão de solo batido. Tento me agrupar a multidão. Estou cansada desse movimento migratório. Observo sem uma restrição a algo específico.

Ver perfil do usuário

9 Re: Cidade de Hyacinth em Qui Set 11, 2014 5:19 pm

A mesma garota que vendia flores para o jovem, aproveita a oportunidade e oferece as rosas para a mulher, também.
- E a senhorita? Por favor, compre uma rosa! - Ela sorria cada vez mais, se é que era possível. - Iria me ajudar muito!

Ver perfil do usuário

10 Re: Cidade de Hyacinth em Qui Set 11, 2014 9:16 pm

Ele para, olhando a pequenina e dando um suave sorriso.
Que fofura. Mas, o que tenho é muito pouco para gastar numa flor.
Seu sorriso se desmancha, mas logo volta.
- Não poderei comprar a rosa, mas que tal eu te ajudar a vender? - Ele percebe a dama não muito longe e se dirige a ela gentilmente - Você quer comprar uma rosa desta bela garotinha?

Ver perfil do usuário

11 Re: Cidade de Hyacinth em Qui Set 11, 2014 9:29 pm

Percebo a aproximação de uma garotinha e um rapaz de cabelos arroxeados. "Alfred possuía cabelos arroxeados também..." Encaro o garoto, mas noto que minha resposta ainda não fora emitida.

- Oh, é uma bela flor, senhorita. - a observo mais atentamente. - Aliás, a cor dos seus olhos é... surpreendentemente linda. Nunca vi uma tonalidade como essa. - meus lábios se contraem em um sorriso que tento deter. -  Vamos fazer um acordo? - aproximo-me da menina. - Eu compro a sua flor, mas em troca você não me dará a flor, mas sim... algo que desejo ainda mais que essa linda rosa.



Última edição por Belona Dallacourt em Sex Set 12, 2014 4:47 pm, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário

12 Re: Cidade de Hyacinth em Sex Set 12, 2014 3:34 pm

A garotinha sorri de orelha a orelha com a grata ajuda do rapaz, dizendo:
- Muito obrigada, moço!! Eu não sei como lhe agradecer!! - Brotavam pequenas lágrimas de felicidade em seus olhos, mas a criança se apressou a limpa-la.
----------------------------------------------------------------------------------------------
- Claro, moça!! O que você quer? - Ela a respondia com uma doce face e um tom de voz amigável.

Ver perfil do usuário

13 Re: Cidade de Hyacinth em Sex Set 12, 2014 4:49 pm

Um grande sorriso se abre com a resposta da garotinha. Pego o bisturi da bolsa e respondo com grande entusiasmo:
- Seus olhos, por favor. - Apresso-me. - Não se preocupe. A senhorita não morrerá na operação. Eu sou médica, posso garantir.

Ver perfil do usuário

14 Re: Cidade de Hyacinth em Sex Set 12, 2014 9:55 pm

A única reação da garota foi assustar-se com a proposta em um nível extremo, o que desencadeou sua fuga e gritos estéricos após o ato. Enquanto fugia, deixou com que todas as flores que segurava caíssem.

Ver perfil do usuário

15 Re: Cidade de Hyacinth em Sab Set 13, 2014 9:30 pm

Vejo a fuga da garotinha estérica e suspiro.
- Fiz algo de errado? - Penso comigo mesma. - Oh, que pena. - Uma expressão triste toma meu rosto. - Eu queria tanto aqueles olhos...
Continuo a minha caminhada com a mesma displicência anterior.

Ver perfil do usuário

16 Re: Cidade de Hyacinth em Dom Set 14, 2014 10:22 pm

                  Passos pesados vinham de um sujeito alto, robusto, de cabelo e barba grande. Ele caminhava com um contente sorriso em sua face, andando adiante, com uma velha armadura, e por cima da tal, velhas rasgadas roupas. Em tua cintura, um cinto de couro portava uma bainha de sua longa espada de Duas mãos - A qual presenciava seu local.
                  Cantarolando em assobios, Leeroy observava ás pessoas ao seu redor, dando-lhes bom dia, e esbanjando felicidade e confiança aos tais - Achava que isto faria o dia deles melhor, principalmente daqueles que haviam um péssimo, triste começo de dia.
                  Então, acabara por passar ao lado duma ferraria. Olhou para ela, e deixou com que teu materialismo tomasse conta de teu corpo. Voltou alguns passos feitos, e parou em frente ao local. Colocou as mãos na cintura, e ficou a admirar o que havia lá dentro - mesmo não estando lá.
                  "Imagine se eu tivesse todo o ouro necessário para comprar uma dessas belezinhas." - Pensou, enquanto olhava uma longa espada de ferro com teu cabo banhado em ouro. Na tal, um Leão era visível á aqueles que a olhassem com atenção.

Ver perfil do usuário

17 Re: Cidade de Hyacinth em Seg Set 15, 2014 11:59 am

Leeroy escreveu:                  Passos pesados vinham de um sujeito alto, robusto, de cabelo e barba grande. Ele caminhava com um contente sorriso em sua face, andando adiante, com uma velha armadura, e por cima da tal, velhas rasgadas roupas. Em tua cintura, um cinto de couro portava uma bainha de sua longa espada de Duas mãos - A qual presenciava seu local.
                  Cantarolando em assobios, Leeroy observava ás pessoas ao seu redor, dando-lhes bom dia, e esbanjando felicidade e confiança aos tais - Achava que isto faria o dia deles melhor, principalmente daqueles que haviam um péssimo, triste começo de dia.
                  Então, acabara por passar ao lado duma ferraria. Olhou para ela, e deixou com que teu materialismo tomasse conta de teu corpo. Voltou alguns passos feitos, e parou em frente ao local. Colocou as mãos na cintura, e ficou a admirar o que havia lá dentro - mesmo não estando lá.
                  "Imagine se eu tivesse todo o ouro necessário para comprar uma dessas belezinhas." - Pensou, enquanto olhava uma longa espada de ferro com teu cabo banhado em ouro. Na tal, um Leão era visível á aqueles que a olhassem com atenção.


*Narrador*

"Da loja onde o homem observava as espadas e outros acessórios de metal, um jovem de aparentemente 15 anos, saiu de lá e foi até ele.

- Puxa... o Senhor é bem forte ein!? Uau... - O garoto hiperativo se aproxima boquiaberto, seus olhos vidrados cheios de sonhos, certamente se imaginava assim futuramente. - Como o senhor consegue ? Já matou muitos monstros? E as mulheres ? Elas caem aos seu pés? Puxa... puxa... como o senhor deve ser poderoso!"

Ver perfil do usuário

18 Re: Cidade de Hyacinth em Seg Set 15, 2014 1:27 pm

                  Enquanto observava á bela espada que estava adentro da loja, não deixou por passar o garoto saindo da loja. Bateu olhares com ele, mas voltou á olhar - Não achou que seria contigo que o mesmo viria falar - Até que acabou por perceber uma voz á sua frente. Olhou para baixo, e viu, então, o jovem.
                  Acabou por escutar as palavras do garoto, e por consequência, uma alegre risada. Fitou o garoto com um sorriso confiante na face, e respondeu-lhe
                  "Pois ora, a força é o que menos possuo em meu corpo, jovem!" - E prosseguira, enquanto se ajoelhava perante o garoto. - "A verdadeira força de um bom e confiante guerreiro não vem de seu equipamento nem força, mas sim, de seu coração" - E então, Leeroy encostara o dedo indicador no peitoral do garoto - "E este sim, é o músculo mais poderoso de um guerreiro."

Ver perfil do usuário

19 Re: Cidade de Hyacinth em Seg Set 15, 2014 1:36 pm

*Narrador*

"-Uau... quer dizer... que eu posso ser como o senhor? - Os olhos brilham tinindo no tom esverdeado. O sorriso de orelha a orelha que parecia não ter fim. Ele levanta os braços e começa a fazer poses onde mostraria seus "músculos". - Quando Nadine voltar, vou dizer a ela que não cuidarei mais da loja quando eles saírem, agora vou me dedicar á me tornar um guerreiro poderoso!"

Ver perfil do usuário

20 Re: Cidade de Hyacinth em Seg Set 15, 2014 2:04 pm

                  Ouvindo as palavras do garoto, Leeroy esbanjaria um sorriso contente - Ver pessoas cujo futuro seria grande e potente lhe faria feliz. Notou o nome citado - "Nadine" -, e se interessou por mesmo. Ainda vendo o garoto confiante em ser um grande Guerreiro, soltou uma breve risada, e prosseguiu
                  "Mas é claro que irá ser um grande guerreiro! Basta apenas treinar, e sempre confiar em si mesmo!" - E pelo interesse ao nome, continuou - "E esta tal Nadine, seria a dona desta grande ferraria a qual está cuidando, jovem?"

Ver perfil do usuário

21 Re: Cidade de Hyacinth em Seg Set 15, 2014 2:29 pm

* Narrador*

"O jovem entusiasmado parece não se importar muito com a pergunta.

- Não não... Nadine é uma moça cega que fica na loja, atendendo aos clientes. O dono era o Sr. Hanswel que era o ferreiro, mas ele morreu e deixou a loja aos cuidados dela... - Ele coloca a mão no queixo, agora um pouco mais pensativo. - Não conheço o ferreiro novo, nunca o vi, mas senhorita Nadine deve saber, afinal sempre que ela sai, ele deve ir junto... pois me deixam cuidando da loja... Algumas peças ainda são do Sr Hanswel.. - Ele aponta a prateleira com as espadas mais longas, grandes machados e com o mesmo estilo de trabalho. - Mas aquelas são do novo ferreiro.. - Aponta á outra prateleira, onde haviam mais adagas, facas, emblemas, partes de armaduras e armas de pequeno porte, porem todas com o simbolo "N" gravadas em algum detalhe. - Se o senhor quiser, pode deixar uma encomenda, mas ela só dará ao recado ao ferreiro quando voltar...

Ele parece um pouco entediado, provavelmente já deve ter dito esse discurso varias vezes, para visitantes ou aventureiros que passaram por ali, mas logo se recompõe ao mesmo estado de antes.

- Quantos dragões já enfrentou ?"

Ver perfil do usuário

22 Re: Cidade de Hyacinth em Seg Set 15, 2014 3:01 pm

                  "Oh, entendo! Muito obrigado pela informação, garoto!" - Respondeu, após o garoto terminar, enfim, o discurso sobre a tal Ferraria. Isto, de fato, havia interessado Leeroy. Queria saber mais á respeito do tal ferreiro, e também de Nadine - Mas deixaria isto para depois. Mas que isto tomara tua cabeça, tomou, e muito.
                  Quando menos percebeu, o garoto já havia lhe feito outra pergunta. E ela acabou por pegar Leeroy de jeito. Nunca havia enfrentado um dragão, muito menos visto um. Sonhava em, ao menos, ver um algum dia. Sabia que eram criaturas fortes, e adoraria ter a honra de enfrenta-los frente á frente - Sem acabar destruído, claro.
                  "Bem... Sou um viajante de cidades próximas. Nunca enfrentei nenhum dragão frente á frente, logo que nunca tive contato com eles." - Respondeu Leeroy. Mesmo que o garoto sonhasse em ser grande, Leeroy havia de ser sincero, como sempre foi em tua vida toda. A resposta levou também, além de pensar em Nadine e o tal Ferreiro, á também pensar no poder, aparência, e em si, um dragão. ""Será que eles realmente existiam?"" Pensava o homem.

Ver perfil do usuário

23 Re: Cidade de Hyacinth em Seg Set 15, 2014 3:40 pm

*Narrador*

"O jovem empolgado parece não desgrudar mais de você.

- Eu adoraria ver um dragão e enfrentá-lo.... O senhor podia me ensinar, sabe ? Eu poderia ser seu discípulo... - Ele começa a gritar, talvez a ideia fosse demais para ele. - Ia ser demais! Eu poderia carregar as coisas para o senhor! Faria tudo o que o senhor quisesse!"

Ver perfil do usuário

24 Re: Cidade de Hyacinth em Seg Set 15, 2014 10:03 pm

                  A proposta e ideia do garoto acabaram que interessando Leeroy. De fato, aquilo seria algo bem útil para si. Mas como sempre, o homem era honesto e justo. Saberia que aquilo traria problemas - Não para ti, mas para o garoto.
                  "Não é uma má ideia, jovem. Mas eu precisaria da permissão de teus superiores para isto." - De fato, se os seus parentes não permitissem isso, e o garoto fosse do mesmo jeito, isto seria um problema nacional, que seria de grande peso á Leeroy.

Ver perfil do usuário

25 Re: Cidade de Hyacinth em Seg Set 15, 2014 10:14 pm

*Narrador*

" - Mas... mas.. eu não tenho pais... - Ele se encolhe um pouco, começando a desanimar pela chance de não poder ir. - Senhorita Nadine me deixa ficar aqui e ganhar meus trocados, porem eu durmo no orfanato da cidade e ... já estou há dias longe de lá.. sequer notaram minha falta...

O garoto parecia estar á ponto de implorar á você, quando a conversa é interrompida por alguém que esbarra em seu tronco. A pessoa encapuzada usava um manto negro da mesma cor do restante de suas roupas, seus olhos não podiam ser vistos, apenas o queixo que obviamente era de um homem. Ele não pede desculpas ou sequer fala algo, apenas continua seu caminho.

O menino da alguns passos para traz, parece se retrair com medo ou aflição do homem que passou.

- Eles são estranhos... chegaram á dois dias aqui e ficam assim... andando nas ruas... parecem estar procurando algo ou alguém.... - Ele sussurra."

Ver perfil do usuário

Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 5]

Ir à página : 1, 2, 3, 4, 5  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum