Eshmir — Fórum RPG
Chatbox

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

A cadeia

Ir à página : Anterior  1, 2

Ir em baixo  Mensagem [Página 2 de 2]

26 Re: A cadeia em Dom Dez 28, 2014 8:59 pm

O desvio foi ágil e perfeito, além de que o arremesso das flechas provou a morte do guarda com o nariz quebrado, já que ele estava distraído e ocupado com o nariz. O pedaço da flecha ficou grudado na testa do guarda, quebrando o crânio do homem.

Porém, o guarda que demonstrava mais seriedade desviou do ataque, levando somente um arranhão no pescoço, não muito sério. Este guarda, em seguida, saltou com agilidade em direção à espada do ex-guarda. Pegou-a e correu em direção de Nihillus. Viu a porta da cela sendo fechada e soltou uma risada debochado, mas baixa, impedindo dos prisioneiros escutarem.

O guarda que largou a garota ficou confuso com todos seus movimentos, não conseguindo ser rápido o suficiente para virar o corpo e pegar o braço da garota. Ele somente foi capaz de virar e vê-la pegar as últimas flechas do caçador.

Quando a garota pegou as flechas e tentou transmutar, o guarda "preso" na cela jogou a espada do seu companheiro diretamente nela, com força, mirando nos peitos da garota. Em seguida, o guarda com a flecha em seu pescoço saiu correndo, com raiva, em direção do caçador, para impedir ele de salva-la.

No fim, o guarda "preso" abriu a cela e foi em direção da chave que estava jogada no chão em frente às grades, chutou-a para dentro da cela e correu em direção do caçador, logo depois da espada atingir ou não a garota.

Ver perfil do usuário

27 Re: A cadeia em Dom Dez 28, 2014 9:42 pm

Apesar de ter ficado meio aturdido com a garota e suas ações e em questão de segundos me recomponho, noto que ela transmutou uma manopla em minha mão direita. Como Hazel estava o tempo todo protegida em minhas costas e nem para transmutar as peças e elevar seu braço até o meu, ela saiu de lá. Quando a espada do soldado mais sênior é lançada, ela acerta meu ombro esquerdo, fincando-se nele com precisão, mas sem causar um dano fatal para mim. Mas livrando Hazel de qualquer dano, neste mesmo instante o outro guarda com a flecha no pescoço veio correndo em nossa direção, porém não me descuidaria, ainda existia o segundo guarda que estava saindo da cela, eu estava pronto para reagir a qualquer ataque feito contra mim ou contra a garota.

Ver perfil do usuário

28 Re: A cadeia em Dom Dez 28, 2014 9:45 pm

Hazel então empurra Nihllus correndo com toda sua força e ajudando-o a correr consigo, juntos! O guarda senior estava ocupado jogando a chave para longe, o que deu o exato tempo de Hazel correr com Nihillus em direção ao outro guarda e então fazer o caçador usar sua manopla para aterrar a flecha no pescoço do mesmo, o matando de vez. Os dois então se viram para o guarda senior e Nihllus usa sua poção de cura enquanto Hazel retira a espada de seu ombro, a joga a seus pés e assume posição de luta, virando-se para frente e gingando de um lado para o outro e esperando que o guarda avançasse.

Ver perfil do usuário

29 Re: A cadeia em Dom Dez 28, 2014 11:07 pm

O guarda espadachim, que já tinha terminado de jogar a chave para dentro da cela e estava indo em direção dos prisioneiros, viu a intenção de Hazel e Nihillus ao tentar acabar de uma vez com o sofrimento de seu colega e deu um impulso, em seguida começando a correr em uma velocidade incrível. Sua armadura não era tão pesada quanto o do guarda algoz, ao menos não parecia.

Quando os dois prisioneiros estavam na metade de seu golpe uma espada fina, porém resistente, veio de um golpe de baixo para cima. E então empurrou a manopla para cima, o bastante para salvar o algoz, mas não muito para salva-lo de um ataque. Com isso, o guarda algoz acabou com um soco o meio da cara e acabou dando três passos para atrás.

— Como ousam pisar em solo sagrado e ainda assim acabar com vidas ?! — falou o espadachim, indignado, com a espada em prontidão à sua frente. Ela era um pouco recurva, então, mesmo com o espadachim deixando a espada na mesma altura de sua virilha, parecia chegar no pescoço de Hazel e quase no ombro de Nihillus.

Nesse mesmo instante, o algoz já havia se recuperado o bastante e corria diretamente para os dois prisioneiros. Sua velocidade parecia ter diminuído, ele parecia cansado, mas sua fúria o mantinha em pé. Os guardas, em perfeitas sintonia, pareciam se comunicar telepaticamente, então, no momento em que o algoz iria esbarrar no espadachim, o espadachim desviou-se para o lado, com um pulo e em seguida aproveitou a queda para lhe proporcionar um impulso e ir direto para um ataque.

Com isso, tudo o que os prisioneiros viram, foi um algoz aparecendo em instantes preparando para dar um soco no rosto de Nihillus e o espadachim desviando, porém, já voltando à sua forma ofensiva, tentando cortar a garganta de Hazel. Tudo isso parecia que eles só queriam separa-los para poder acabar com eles separadamente.



Última edição por Carnasis em Seg Dez 29, 2014 10:02 pm, editado 1 vez(es)

Ver perfil do usuário

30 Re: A cadeia em Ter Dez 30, 2014 10:41 am

Hazel rola para trás com uma agilidade fora do comum, rangendo os dentes em puro ódio e elevando sua perna esguia contra o punho do senior.

Hazel rola para trás com uma agilidade fora do comum, desviando da investida enquanto rangia os dentes em puro ódio. Suas pupilas se fecharam e ela avançou contra o sênior, de quatro, rolando e girando pelo chão com a elasticidade de um gato.

Ousou passar rente ao corpo do infeliz e ridiculamente imortal guarda e deu um maravilhoso tapa em seu rosto apenas para provoca-lo. O chamou com as mãos e então foi se afastando, já que afinal era isso que o mesmo queria, não? Que ela se separasse do caçador.

Ao tomar distancia, só estavam os dois ali. Hazel o provocando de uma forma aterradora enquanto gingava de um lado para o outro o colocando em seu lugar, o de palhaço.

Ver perfil do usuário

31 Re: A cadeia em Ter Dez 30, 2014 10:42 am

A situação era simples, aliás, mais do que simples. Hazel era leve, ágil e uma perita em artes marciais. Não precisava de força alguma para executar suas acrobacias corporais contra alguém pois poderia usar o peso do próprio oponente contra ele mesmo.

Nihillus era um fodendo Myrddraal, sua força era monstruosa, ainda mais contra elfos, que por fisionomia natural já eram frágeis. E agora ainda tinha uma fodendo manopla de ferro em seu punho. Qualquer investida do mesmo era mais do que o suficiente para ao menos esmagar a caixa torácica de ambos os guardas, ainda mais o sênior, que já havia comprovado por conta própria que sua armadura era menos resistente para justamente da-lo mais mobilidade.

O guarda com a flecha estancada no pescoço estava nas ultimas e iria morrer de qualquer forma e ao menor e mais simples movimento de contra ataque. Seu destino já estava selado, não havia como salva-lo.


A albina rola para trás com uma agilidade fora do comum, desviando da investida enquanto rangia os dentes em puro ódio. Suas pupilas se fecharam e ela avançou contra o sênior, de quatro, rolando e girando pelo chão com a elasticidade de um gato. Ousou passar rente ao corpo do ridiculamente imortal infeliz e deu um maravilhoso tapa em seu rosto apenas para provoca-lo. O chamou com as mãos e então foi se afastando, já que afinal era isso que o mesmo queria, não? Que ela se separasse do caçador. Ao tomar distancia, só estavam os dois ali. Hazel o provocando de uma forma aterradora enquanto gingava de um lado para o outro o colocando em seu lugar, o de palhaço

Ver perfil do usuário

32 Re: A cadeia em Ter Dez 30, 2014 10:44 am

Toda aquele desaforo perante meus olhos, a fúria, o ódio, a vontade de ser livre, de despedaçar cada membro daqueles elfos malditos. Aquele espirito de fúria incontrolavel já havia se apoderado de meu corpo, aquele instinto de sobrevivência, aquela vontade de reaver minha liberdade, tudo veio de uma só vez.

Eu estimo minha liberdade acima de tudo, ninguém ficaria entre mim e ela. Eu sou um Myrddraal, a raça mais bruta, mais sombria, mais forte! Eu estive me segurando para não me exceder, mas agora? Não mais! Haviam me provocado, me humilhado, tentado meu eu animal, e agora pagariam com suas vidas!

No momento que o Algoz fora desferir seu soco contra meu rosto, passei a encara-lo, e no exato instante, devio-me de seu golpe e acerto-lhe um potente soco em seu peito com meu punho que possuía a manopla.

Com a minha elevada força e a manopla, a armadura que protegia o local fora completamente estraçalhada e graças a força empregada em meu golpe, suas costelas e caixa toracica foram completamente estilhaçadas, e sua pele cedeu para minha mão adentrar em seu corpo como papel e agarrar seu coração, arrancando-lhe do peito o matando o maldito e podre Algoz de merda!

Jogo-o para trás mas não me contento, minha fúria era demasiada incontrolavel, implacavel, indestrutivel. Rapidamente seguro no ombro do mesmo com minha mão esquerda e o puxo com força e brutalidade até sentir a carne ceder e se rasgar, separando todo o braço de seu corpo, esguichando e jorrando sangue do corpo agora violentado e decrepito.

Rapidamente me viro para o guarda restante que estava sendo provocado pela garota, e me aproximo do mesmo com uma incrível velocidade. Agarro cada braço do mesmo com uma mão e puxo seus braços para trás apoiando meu pé esquerdo em suas costas, forçando completamente os frágeis braços daquele elfo até quebrar seus dois ombros, assim que escuto o som dos ossos se partindo solto um urro, como uma animal que saboreia o gosto de sua presa, continuo forçando até arranca-los de seu corpo, jogo-os para trás e golpeio sua coluna, atravessando minha mão por sua carne, agarrando-lhe a espinha e puxando-a para fora com imensa força e brutalidade, matando-o.

Solto uma gargalhada alta, me deleitando com a imagem dos elfos mortos e o sangue sobre mim como um candelabro queimado.

Ver perfil do usuário

33 Re: A cadeia em Qua Dez 31, 2014 5:27 pm

Como um myddraal e com o suporte da manopla, a armadura, no local em que foi atingido, foi amassada, até atingir o corpo do elfo, que ficou com um hematoma tão grande, que parecia que só um peteleco iria estourar aquela parte do corpo. O algoz cai no chão, podre, não tinha mais resistência que o seu treino lhe permitia e estava tão cansado que não conseguia se manter em pé, tinha perdido a vontade de viver por perder contra podres como esses prisioneiros. No momento em que o guarda bate no chão, a flecha em seu pescoço faz o trabalho que deveria ter feito desde o inicio, entra para dentro do pescoço do guarda algoz, rasgando-lhe e quase perfurando todo o pescoço. Como o prisioneiro não havia parado, já que não parecia para ele que era o bastante, o algoz, já morto no chão, acabou perdendo uma parte de seu ombro, que jorrava sangue quase que infinitamente, criando uma poça de sangue em volta do corpo do guarda.

Quando o myrddraal avançou contra o espadachim, este notou os barulhos e se virou com um contra ataque na diagonal, mirando os possíveis braços de quem se aproximava. Se Nihillus não desviasse provavelmente iria ficar com um corte profundo no braço, perto do ombro. No fim, o espadachim tentou ficar atento o bastante para segurar os dois, mas era impossível, poderia segurar somente um dos dois por vez, mas não os dois ao mesmo tempo. Ele entrou na defensiva, dando alguns passos para atrás, com a espada um pouco curva à sua frente, esperando qualquer ataque e/ou movimento.

Ver perfil do usuário

34 Re: A cadeia em Sex Jan 02, 2015 3:36 am

Agora não tinha como continuar vivo. O Senior estava acabado, não tinha resistencia por tudo que ocorreu. Se não fosse esse o caso, o mesmo não era um elfo comum, e sim algum tipo de criatura macabra, já que não ficava quieto e morria de uma só vez. Nenhum elfo teria a resistencia que ele estava tendo, isto ia contra toda a fodendo fisionomia da porra da raça a possibilidade existente dentro de Eshmir.

Mas como já dito, agora não tinha como continuar vivo. Estava esgotado e lutando contra dois ao mesmo tempo. Mais uma vez, era um elfo de merda comum e não um Deus, tinha que parar com a birra a persistência em continuar vivo e morrer de uma vez.

Hazel abriu um sorriso de canto e apenas olhou para Nihillus de forma provocativa, então começou a gingar enquanto TELEPATICAMENTE não é, Kamuh? se comunicava com o Arqueiro.

Ver perfil do usuário

35 Re: A cadeia em Sex Jan 02, 2015 11:35 am

Apenas me desviei do golpe dando um soco do lado da lâmina e a quebrando parcialmente. Exibo meus dentes afiados em um sorriso macabro.

Me aproximo da garota e começo a dar alguns pulinhos, sempre olhando para o guarda e Hazel, enquanto me comunico TELEPATICAMENTE com ela.

Para provocar mais ainda o guarda cuspo em direção ao rosto dele.

Ver perfil do usuário

36 Re: A cadeia em Ter Jan 06, 2015 1:53 pm

Alterax

avatar
Admin
Uma câmara a qual permanecera fechada durante todo aquele embate então se abriu, surpreendendo a todos com uma criatura de pele escamosa arroxeada e tremeluzente. A criatura possuía um longo rabo cheio de espinhos e uma garra tão monstruosa quanto. Parecia agitada, farejava o ar e revirava os olhos de maneira veemente.

Parou por um momento e, com sua grandiosa garra da mão esquerda, rasgou a realidade: uma fenda se abriu e nela a criatura entrou, distorcendo-se e desaparecendo.

A fenda, no entanto, permanecia aberta.

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo  Mensagem [Página 2 de 2]

Ir à página : Anterior  1, 2

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum