Eshmir — Fórum RPG
Chatbox

Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Calabouço dos Mortos

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Ir em baixo  Mensagem [Página 6 de 9]

126 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 12:10 pm

" Vai vir mais mortos vivos? Não fode. "

- Hey, anão, se prepare, se vier alguém a gente entra naquela sala do armamento e espera escondido. - Disse a respeito de barulhos aleatórios.

- Isso atrás da porta, deve ser alguém quase morto ou algum morto-vivo que desobedeceu eles, sei lá, esse cadeado parece ser poderoso. O que você acha? Você que sugeriu vir até aqui, tentamos arrombar?

Ver perfil do usuário

127 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 1:32 pm

Alterax

avatar
Admin
O anão titubeou e sua face demonstrava estar confuso psicologicamente, mas logo se recompôs e respondeu à Aisha.
— Eu não sei... estou um tanto quanto confuso a respeito desses barulhos e também com medo... — Fez uma pausa, aproximando-se do cadeado e analisando-o — Humm... mas estamos bem-equipados, então de que é que importa!? Vamos quebrar isso logo! — Disse, empolgado.

Os ruídos agora tornavam-se mais intensos, embora ainda soassem de maneira "distante". Aisha pode ouvir barulhos de esqueletos chocando-se contra o chão, como se fosse um morto-vivo em forma esquelética vagando.

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

128 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 1:52 pm

- Acho que tem algo vindo para cá mesmo... ou é daquele buraco. Não, impossível, a pedra que eu joguei sequer fez barulho, ele é muito longo para isso. Estamos bem equipados, mas lutar em desvantagem numérica não irá ajudar, vamos averiguar isso primeiro, se não for nada arrombamos. - Disse, andando cautelosamente de onde tínhamos vindo, próxima a parede.

- Vá próximo a outra parede baixinho, se algo vier, golpeamos o mais rápido e forte que pudermos. Não pense, golpeie.

" O elemento surpresa, um flanco de visão e um golpe duplo, seja humano ou monstro, será decapitado imediatamente. "

Se Aisha não achasse nada até onde o corredor lhe dava visão da escadaria que subia, voltaria e olharia o buraco com cuidado, checaria as escadas da terceira sala e então deixaria o anão arrombar a segunda.

Ver perfil do usuário

129 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 2:12 pm

Alterax

avatar
Admin
Os ruídos e o barulho de esqueletos se chocando tornava-se cada vez mais próximo. Aisha e o Anão são capazes de ouvir alguém tossindo atrás daquela porta trancada a cadeado. O anão por fim arrombou-a, revelando uma figura um tanto quanto estranha e moribunda:



Os buracos em suas mãos eram profundos, e ambos eram capazes de sentir grande energia mágica, no entanto desconhecida, pulsando de seu corpo. Ele permaneceu em silêncio mesmo ao notar que haviam arrombado a porta. Sua respiração continuava pesada.

O homem estava acorrentado pelo pescoço, pelos pés e suas mãos presas. Seu rosto estava coberto por uma máscara de ferro preta e seu corpo aparentava sinais de tortura, embora trajasse alguns trapos.

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

130 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 2:59 pm

Recuo alguns passos, e então analiso, quieta.

" Beleza, é o que eu imaginava, algum ser ancestral mágico que vai me explodir com o pensamento, foi bom viver, qual seria meu nome após a morte? Hades? "

- Hey baixinho - Falava em um tom menor, segurando a espada com força, minha voz continha um leve nervosismo - Sabe algo? O que a gente faz?

Ver perfil do usuário

131 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 3:13 pm

Alterax

avatar
Admin
O que estava gerando ruídos e barulho de ossos se chocando finalmente se revela: eram três guardas mortos-vivos, todos trajando armaduras de ferro dos pés até a cabeça. Um deles estava trazendo comida, o que provavelmente era para o prisioneiro.

Eles conversam algo rápido entre si, jogam os alimentos no chão e partem para a luta, visando matar o anão e Aisha impetuosamente. Os três cercam-nos e tentam pressioná-los ao cercá-los com as lanças colocadas a frente de seu corpo, em posição ofensiva, tentando afugentá-los para dentro daquele estranho quarto em que o prisioneiro estava sendo mantido.

O prisioneiro suspirou profundamente e então disse, na mesma língua que os mortos aparentemente falavam:
— A distância que vocês têm de mim é o suficiente para que eu possa transformar suas almas podres em armas e possa destruí-los — O prisioneiro solta uma pequena risada maligna e se engasga, tossindo logo em seguida e se recompondo — Vocês não se lembram das diretrizes? — Questionou retoricamente.


Habilidades: Lanceiro 3, todos.

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

132 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 3:34 pm

- Merda... como não vimos ele? - Disse para o anão, recuando para o fundo do corredor e empurrando ele para dentro do quarto - Eles nem devem nos entender, fica ai que a gente quebra a formação deles.

" Bosta, eles estão mais protegidos que os outros, golpes precários não darão conta dessa vez, preciso quebrar essas lanças quando tiver a chance e perfurar seus crânios o mais rápido possível, ainda tem aquele morto vivo estranho falando algo aleatório que pode nos matar... bosta. "

Vou recuando mais, esperando para ver como a formação deles ficaria.

Ver perfil do usuário

133 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 3:50 pm

Alterax

avatar
Admin
O prisioneiro recita um encantamento complicado e em uma linguagem desconhecida, fazendo com que as almas dos mortos-vivos a sua frente ficassem expostas e transformassem-se em três distintas armas. A primeira era uma adaga completamente negra, a segunda era um mangual pesado também negro e a terceira era uma claymore em ruínas de coloração negra.

As armas pairavam ao redor do prisioneiro suavemente, quando em em um comando súbito -- dado pelo prisioneiro, em voz -- todas disparam contra os mortos-vivos e decepam suas cabeças. Logo em seguida, as armas caem no chão, junto a seus corpos.

— Já era hora de alguém me libertar... — Disse o prisioneiro. Sua voz era rouca e sua entonação confiante. Sua respiração continuava pesada.

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

134 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 3:56 pm

- Ahm... magia legal? - Disse tentando quebrar o gelo, aquilo era um humano? - Oi, pessoa-desconhecida-poderosa, você... ia comer aquilo? - Tanto ele pode estar com fome e isso o deixar com mau humor e me ferrar, quanto eu posso comer com o anão aquilo se ele não quiser - Acho que era pra você, e ahm... de nada por lhe libertar.

" Pelo menos estamos salvos daqueles três... e talvez tenhamos ganhado um poderoso aliado. "

Fazia um sinal para que o Anão se aproximasse de mim com a mão.

Ver perfil do usuário

135 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 4:06 pm

Alterax

avatar
Admin
O homem arrebenta as correntes as quais lhe prendiam e também liberta suas mãos, caminhando para fora daquele quarto.
— O cadeado o qual estava aqui impedia total fluxo de energia mágica. Uma vez que ele não está mais aqui, estou livre — O homem gesticulava, andando ao redor e observando o local. — Eu não entendo o que houve... fui preso por ordens do Rei Carnasis e hoje em dia estes homens-esqueleto é quem têm domínio total do calabouço do... não entendo. Estava prestes a acontecer uma guerra contra os Antigos... — a respiração do homem tornava-se mais pesada, passando uma sensação de agonia para Aisha e o Anão, o qual permanecia calado.

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

136 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 4:13 pm

- Olha, acho que você está preso aqui a bastante tempo... Carnasis não é o nome do rei do submundo ou algo assim, baixinho? - Disse para o anão, sendo mais suave que antes.

" Se ele estava preso a muito tempo e nós o soltamos, ele não vai querer nos matar, desde que não digamos as coisas erradas... "

Mas mesmo com estes pensamentos, nunca esquecerei como meu corpo reagiu a presença daquele homem, a sua respiração, o silêncio... todos meus nervos estavam tensos, extremamente tensos.

- Já sobre os antigos, não sei exatamente do que diz, me desculpe.

Ver perfil do usuário

137 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 4:18 pm

Alterax

avatar
Admin
— Carnasis é o rei o qual desafia até mesmo a própria morte, ridicularizando-a utilizando uma máscara em forma de caveira e caracterizando-se como um ceifador no campo de batalha... maldito seja aquele arrogante homem...! — O prisioneiro cerrou os punhos e grunhiu os dentes, os quais podiam ser enxergados através do buraco para a "boca" na máscara.

"Posso notar que este não é mais o meu tempo. Permaneci em ascenção enquanto preso, embora seja apenas um humano... a marca; deve ter sido a marca..."

Após tirar suas próprias conclusões em pensamentos, o homem toma uma postura mais relaxada e aproxima-se de Aisha, estendendo sua mão para ela.
— Sou Aphel. — Introduziu-se, em tom de voz educado e calmo.


O anão demonstrava estar assustado e confuso, mas prefere permanecer em silêncio.

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

138 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 4:26 pm

Estico minha mão de volta, lhe cumprimentando também.

- Sou Aisha, prazer Aphel.

" Ele conhece Carnasis? Pera, quê? Os antigos, ele se refere aos deuses dos livros de algumas religiões? Ah, esse cara é um mago poderoso e louco... entendi. Bem, tanto faz, parece gente boa. "

- Então, você irá para algum lugar agora? Está com fome? Ah sim, este é meu companheiro de fuga. - Disse, apontando para o anão.

" Se apresente babaca, não vai querer que ele não goste de você... "

Ver perfil do usuário

139 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 4:34 pm

Alterax

avatar
Admin
— E-Eu sou Björ, anão de Hammerfell — O anão estendeu sua mão para o prisioneiro, tentando ser educado com o seu novo -- ou quase isso -- parceiro de fuga.




Aphel suspira calmamente, aproximando-se da saída daquele corredor.
— Eu não faço a menor ideia de onde estamos ou como sair daqui. Esse lugar era diferente há tempos atrás — explicou — espero que possa contar com vocês para que me me guiem até a saída deste lugar; existem coisas a se fazer, tenho muitas coisas a fazer fora daqui.

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

140 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 4:36 pm

- Então, bem vindo ao clube. Todos fomos presos e não sabemos como sair, só você é quem está a mais tempo e é o mais forte...

Me aproximei da comida que estava no chão, juntando o que ainda poderia ser aproveitado.

- Alguém pretende comer antes de seguir viagem?

Ver perfil do usuário

141 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 4:40 pm

Alterax

avatar
Admin
— Uma vez que meis círculos mágicos estejam ativos, não é necessário que eu me alimente, mas bem que uma boa bebida seria ótimo pra aliviar... — disse, coçando a barba — Contem com minha ajuda em combate para que possamos sair daqui, só não contem com meu senso de direção, pois é péssimo.

O anão aproximou-se de Aisha e pegou alguma carne, comendo-a logo em seguida.

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

142 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 4:42 pm

Peguei o que sobrará e comi, oferecendo a bebida que havia (se houvesse) a Aphel, se não, diria " Desculpe, mas parece que não tem bebida... "

Após terminar de comer e beber, me agachei e peguei a adaga que o homem havia usado para matar o morto vivo, segurando com a luva não sentia muito peso dela.
- Não há problemas de pegar essas armas, há? - Perguntei, chutando a Claymore de leve para o anão, como se perguntasse se ele não a queria. Segui pelo corredor, passando pelo buraco o encarei uma última vez e murmurei

- Buraco esquisito...

Se nada acontecesse, seguia o caminho e então subia as escadas do local indo para o próximo andar.

Ver perfil do usuário

143 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 6:53 pm

Alterax

avatar
Admin
— Não, não há problemas em pegar essas armas, mulher — respondeu Aphel. O anão caminhou até a claymore e a pegou.

Aphel e o anão seguiram-na.


No segundo andar havia espécie de sela de tortura tal como a que Aisha estava, mas abandonada. Aisha era capaz de ouvir a neve caindo lá fora. Era um longo corredor com várias selas, do lado esquerdo e do lado direito. Não havia ninguém lá, embora houvesse sangue por todo lado e o mesmo estivesse fresco.

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

144 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 7:40 pm

- Perto da saída? É possível ouvir a superfície já. - Disse em um tom mais animado, analisando o local. Ao ver o sangue, notava que o mesmo estava fresco.

- Parece que houve algum tipo de luta aqui, não sei... vamos seguir, atentos.

Aisha passava de cela por cela olhando, com nada além de sangue e correntes. Se achasse algum objeto de valor, iria pegar antes de seguir caminho.

Ver perfil do usuário

145 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 9:53 pm

Alterax

avatar
Admin
Aisha chega ao fim do corredor, embora não encontre nenhuma porta ou saída.
Se não havia nenhuma porta ou saída, de onde foi que aqueles esqueletos vieram? Aquele era o fim da linha? Por que havia sangue fresco por todo o local, mas ninguém? Eram estas as questões que iam e vinham pela mente de Aisha, a qual estava demasiadamente confusa.

Aphel pensou profundamente, aproximando-se da parede a qual aparentava ser o fim daquele local e colocando sua mão por sobre a mesma.
— Isso não está certo! — Afirmou, determinado.

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

146 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 9:59 pm

- O que não está certo? É uma passagem secreta? Esquecemos de algo?

" O buraco, talvez... não, isso não faz sentido. "

Ver perfil do usuário

147 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 10:20 pm

Alterax

avatar
Admin
Aphel observou ao redor e coçou sua barba. Estava atento e sua postura demonstrava isso, já que não era possível ver sua expessão facial, a qual provavelmente também detinha de seriedade equivalente.

Permaneceu daquele jeito por vários minutos. Uma hora ou outra rolava os olhos pelo local, observando as coisas sabiamente e analisando detalhadamente. O Anão estava inquieto, andando de um lado para o outro e analisando todas as celas; talvez não tão meticulosamente, mas analisando.

O velho finaliza seus pensamentos e dá o veredicto final:
— Este calabouço é o que eu chamaria de um "labirinto mágico", meus jovens — tossiu, aproximando-se de Aisha — E eu só conheço um meio de sair de um labirinto mágico...!

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

148 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 10:45 pm

- Quebrar todas as paredes e tetos? Esperar as paredes nos mostrarem a saída? Pedir por favor e ela nos deixar passar?

" Vamos lá, sem sacrifícios, por favor... "

Ver perfil do usuário

149 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 10:47 pm

Ao menos agora podia ver o que estava a minha frente, algo no mínimo mais reconfortante do que uma nevasca como a que tinha presenciado, não gostaria de ter até os ossos encharcados pela maldita neve. Outra ótima noticia era graças ao morto que encontrava aquele que carregava uma longa claymore. Nunca havia sido fã de espadas de duas mãos, mas em comparação com minha tosca espada, aquela arma era no mínimo uma melhor ferramenta.

Ao me perceber o morto era o primeiro a reagir, infelizmente ele parecia muito mais rápido do que eu. Sua espada vinha como um vulto contra meu peito, e mesmo com a armadura recém-obtida, pouco gostaria de receber o impacto nas costelas. Sacando a espada direto da bainha, golpeava em um arco que passaria direto das mãos da criatura, para saltar contra pescoço.

Ulf efetuou 1 lançamento(s) de dados D20 (Imagem não informada.) :
8

Ver perfil do usuário

150 Re: Calabouço dos Mortos em Sab Nov 29, 2014 11:11 pm

Alterax

avatar
Admin
— Você verá. Bem, com licensa... — Aphel aproximou-se do corpo de Aisha e extraiu sua alma lentamente, transformando-a em uma longa falcione... negra e com vários cravos no decorrer de sua lâmina. Uma energia sombria pulsava da arma, embora não fosse tão potente.
— Todos os Agelum têm suas almas, quando reveladas, no formato de um falcione. Só nunca vi algo tão sombrio tendo origem dessa natureza — Explicou. Aphel ergueu a espada, saltou e desferiu um golpe contra o teto, o qual cedeu e começou a cair logo em seguida. Ao ver que aquilo poderia atingí-los, desferiu outro golpe, o qual arremessou os destroços para dentro de uma das celas. Um sorriso se formou em seu rosto ao ver que a neve que caía lá fora tomava conta do local gradativamente.

Ver perfil do usuário http://eshmir.forumeiros.com

Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo  Mensagem [Página 6 de 9]

Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9  Seguinte

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum